quinta-feira, 8 de junho de 2017

RETORNO AO PASSADO DE UM FERROVIÁRIO

Onde almoçar nessa quinta aqui no Rio? Lembrei-me de um restaurante que adorava frequentar nas minhas vindas ao Rio, como engenheiro da Rede Ferroviária lotado em JF e nos anos de 1991 e 92, quando vim para o Rio como assessor de Relações Trabalhistas da empresa. Será que o restaurante ainda existe? Fui ao Google: é claro que existe, no mesmo local.
Olha a torre da Central do Brasil lá no fundo.
Chegamos no RESTAURANTE SENTAÍ.  O irmão Celso também foi engenheiro da RFFSA e também frequentava aqui. Claro que trouxemos a amiga Nina, nossa anfitriã.
Esse era o proprietário à época. Um português que transitava pelo restaurante de camiseta sem mangas, com um pano de prato no pescoço. Isso era uma marca do lugar, que poderia ser confundido com um "pé sujo". mas longe disso. Comida e clientela de alto nível. O restaurante é especializado em frutos do mar e comida portuguesa.
Um dos filhos, Rodrigues, assumiu  o negócio.
Celso e eu rachamos essa caldeirada. Peixe, lula, polvo, camarão. Coisa maravilhosa.
Mais um prato a base de peixe.
Agora outro momento de glória. Doces portugueses.
Opa! Veja essa. Celso viu a matéria falando nas dificuldades financeiras do Projeto Balé na Serra, do GAB, e deu 50 paus. Anota aí, Dayse e Simone.

Fomos muito bem atendidos pelo seu xará, também Celso. Só que esse é botafoguense e o irmão flamenguista. Ambos não gostam de futebol.
Agora um momento muito rico, que prova que esse mundo é uma pequena aldeia.  Soube que Hilda, esposa de Rodrigues, tem parentes em Muriaé. Falei meu nome e sobrenome, conversa vai, conversa vem ...ela falou que nasceu  em Varginha, uma comunidade de Carangola. Ora! eu também nasci em Carangola, disse eu. Meu pai era pastor da Igreja Metodista lá. Peraí, perguntou ela. Você por um acaso é filho do Reverendo Celsino Paradela?
 
Ai um abraço emocionado. Seu pai tinha um ponto missionário da Igreja Metodista na tal comunidade de Varginha. Ela lembra muito de "meu velho", pastoreando sua família e dando assistência a toda a sua comunidade.  Da mesma idade de Celso, mais velho que eu, ele se lembra de ter ido com nosso pai nessa igreja. Isso foi o melhor do dia.

Como o o comando da I Região Militar do  Exército fica aqui pertinho, o restaurante foi muito frequentado pelos militares. Tinha uma sala com o nome do Ministro da Guerra, Syzeno Sarmento. A foto continua lá.
O Presidente Figueiredo também mandou uma foto autografada para o proprietário. 
Muita pessoas famosas também passaram por lá. O ex Presidente FHC...
Martinho da Vila ...
Lulu Santos...
Pedro Bial...
Chico Anísio...
Camila Pitanga... e muitos outros.
Essa região teve os seus momentos de glória no início do século vinte !908, 1909... A região está bem degradada, mas tinha viaturas policiais pra todo lado.
E lá vão elas para o estacionamento.  O restaurante tem estacionamento. 

Um programa muito agradável. Vindo ou morando no Rio, não deixe de vir aqui. Preços muito bons. Ótimo atendimento. É Carangola exportando gente boa para o mundo.

Um comentário:

  1. Carangola e Portugal, já viu que mistura? A tal caldeirada e os doces portugueses são tão bons quanto o atendimento. Numa parte velha do Rio, é um restaurante que já passou de pai pra filho e deve ter mais de cem anos. Pequeno e muito simples, mas famoso por seu atendimento e saborosos pratos. Interessante o nome: "Senta aí". Coisa mesmo de portuga...

    ResponderExcluir

Comente este post!