domingo, 21 de maio de 2017

BETO CARRERO WORD NO SÁBADO.

Vamos para o parque um pouco mais tarde hoje. É que queremos voltar mais tarde de lá, depois do show de encerramento.
O litoral catarinense é rico em pescados. Vamos dar um giro para ver se vale a pena levar.
Estamos na época do defeso do camarão. Com a pesca proibida há pouca oferta.
Ostras eu adoro. 
Comer crua com sal e limão é muito bom. Melhor do que gratinada.
É só jogar o tempero e levar  à boca. Mas tem de ser muito fresca.
Todos esses giros a gente fez com Giovani, um gaúcho simpático que nos atendeu muito bem. Não vale a pena alugar carro. Além de tudo, o estacionamento no parque é muito caro. Quando vier aqui...(47)99228.8014(zap).
E ele já nos deixou no parque novamente.
Um retorno ao velho oeste americano.
Os netos entram no cenário.
Léo quis voltar na montanha russa. Tá sumido aí no banco.

Sou maluco pra descer nessa queda livre.
Ela despenca lá de cima. Mas a fila estava grande. Vai ficar para outra vez.
Outro programinha leve e gostoso: um passeio de trenzinho.
Muitos animais vão sendo contemplados. Aqui grande macacos babuínos.
Cervos...
Um grande imprevisto, próprio do velho oeste. O trem está sendo assaltado.
Esses mascarados são cruéis.
Mas fomos salvos graças à intervenção do nosso herói Beto Carrero. Quer dizer, seu dublê. O herói mesmo morreu já há alguns anos.
Masi emoção para a garotada. O trem entra dentro de um túnel dominado por dinossauros.
Olha que gracinha a Maria Fumaça.
Vamos a mais um show: o excalibur .

excalibur é apresentado com o ingresso vendido junto com o almoço. O show é um retorno à Idade Média, e nele acontecem duelos medievais onde cavaleiros lutam para conquistar a lendária espada do Rei Arthur. Um narrador fica o tempo todo animando a plateia durante as competições e lutas entre cavaleiros. 
Bonito figurino, jogo de luzes, fumaças...
Buscando passar uma mensagem ética para o público.
As torcidas, separadas por corres dos setores onde sentam, entram no clima da competição.
E participa da decisão: mata ou não o anti-herói?
Luisa que voltar na Barca Viking. Aqui o pirata é bonzinho.
Quer dizer, com alguns.
Vamos lá, Lu!
Expus minha vida ao risco para subir com Léo nesse perigoso brinquedo
Quase 4 metros de altura.
E fechamos muito bem o parque, com o show de encerramento do dia, num circo imenso.  Um bonito musical que inicia com uma grande homenagem à memória desse sonhador chamado Beto Carrero, que levou seu conho à frente e montou esse grandioso centro de lazer. Tudo passado no velho oeste.
Aqui Beto Carrero também é o herói.
Leva o vilão que tumultuava a vida da cidade a uma reflexão e mudança de vida.
O enorme palco recebe cavalos, vacas e até diligências.
Todos cansados. Foi um dia puxado.

Mas não fomos direto pra pousada. Hoje é aniversário de Bianca e fomos jantar para comemorar. 
Nós estivemos aqui no Beto Carrero logo que o parque foi inaugurado, em 92 ou 93. Os filhos eram pequenos e Bia tinha cerca de 12 anos. Pretendemos voltar aqui e também com os filhos da neta, daqui a uns 20 anos. Eu acho que vai dar.

2 comentários:

  1. Claro, vai dar. Prepare-se para acompanhar mais de um bisneto. Conhecendo você como conheço, vai comer ostras, andar na barca, subir na torre e despencar e... lógico, andar de Maria Fumaça.
    UMA VEZ ENG. FERROVIÁRIO, SEMPRE FERROVIÁRIO !!!

    ResponderExcluir
  2. Que comemorem condignamente porque ... ELA MERECE ! ELA MERECE !
    Receba, Bianca, querida, um grande abraço de Parabéns e os melhores votos de uma vida sempre
    muito feliz.

    ResponderExcluir

Comente este post!