domingo, 9 de abril de 2017

O CÔNSUL DO REI - LANÇAMENTO DO LIVRO

Fizemos o convite aqui no blog e Mírian e eu fomos participar do lançamento, que aconteceu no Colégio São Paulo, na noite de sábado.
Sempre gosto de ver a dinâmica de uma escola a partir dos murais. 
O foco está bem oportuno.
Mas vamos adquirir o livro que está sendo lançado. 
          


Trata-se de uma obra de Rosana Areal de Carvalho, que se aproximou de José Alcino Bicalho através de seu pai, que muito o admirava. A seu convite foi visitar esse homem que, apesar de ter nascido na pequena cidade de Miradouro chegou a tornar-se amigo de JK, foi diretor da USIMINAS, Cônsul  do Marrocos no Brasil e chefe do escritório comercial do Brasil em Paris.
Dei uma olhada rápida no livro, de onde tirei que JAB, como a autora o tratou várias vezes, e eu gostei da ideia, nasceu em 9 de junho de 1920, em Miradouro, região primeiramente habitada pelos índios Puris, que começou a ser conhecida pelos bandeirantes entre meados do séc. XVIII e início do XIX.
Os "Bicalho" chegaram na região na segunda metade do séc. XVIII, através do carpinteiro João Luciano Dias Bicalho.
Quando criança contraiu paratifo e foi salvo graças aos conhecimentos farmacêuticos do seu pai, proprietário da Pharmácia Popular. Aos 11 anos viu o falecimento do pai.
José Alcino formou-se em Farmácia, no Rio de Janeiro e exerceu essa atividade, por um tempo, em Miradouro, sempre tendo a sombra do seu pai, que sequer fez curso superior, mas manteve a fama. 
Saiu do ramo farmacêutico e sua vida passou por BH, RJ, São Paulo, Paris... exercendo os cargos que mencionei.


A cerimônia contou com a forte presença da Academia Muriaeense de Letras, já que JAB também foi membro dessa academia, onde ocupou a cadeira de número 30, que tem Machado de Assis como patrono.Um dos acadêmicos foi designado para falar sobre a ilustre figura da noite.
O salão estava completamente cheio e muitos nas laterais.
A viúva, D. Zezé.
Além dos comentários acima, a autora fala que se sentiu motivada a escrever sobre essa rica trajetória de vida como uma forma de estímulo à recordação daqueles que passaram por nossas vidas, trazendo-nos alguma contribuição.
João Gualberto Bicalho Neto (Bebeto), um dos irmãos,  se fez presente.
O filho deste, Beto Bicalho, também quis, de forma emocionada, fazer uma homenagem ao tio.
A bisneta Marina muito atenta aos pronunciamentos.
Voltei a me encontrar com a prima Hilda Paradelas. Lembro que eu sou singular: Paradela. Mas o "s" não retira o nosso parentesco.
O do centro é seu irmão. Então  também é primo. Mora em Eugenópolis. Os Paradela ou Paradella ou Paradelas que têm orígem na região de Bicas, Mar de Espanha, Argirita... são da mesma linhagem. Tudo gente muito boa. Os que não prestavam foram sendo assassinados pelos bons.
A filha também se manifesta.
Mais um amigo.
Ana Lúcia, também filha, é nossa amiga.
Marina, no colo do avô Gustavo, continua atenta, aguardando a sua vez de se manifestar.
O bufet é o Mestre Cuca, da amiga Fernanda.
Falando-se em Marrocos, então tem Kafta. Essa é gourmetizada, com cobertura de cebola caramelizada.
O diretor da Escola São Paulo, Professor Nicodemos, lembra que quando entrou na instituição o seu tio Alcindo Bicalho era o presidente da mantenedora do Colégio.
Outro acadêmico se manifesta. 
E Marina entendeu que a forma mais expressiva de se manifestar seria tirando a roupa.
O bebê de Poliana chega semana que vem.
O coquetel é servido
E nosso livro autografado.
Podemos subir a serra, confiantes de que não teremos qualquer problema na estrada, apesar da forte chuva que está caindo.
Sobre a autora:



Um comentário:

  1. Cumprimento a família de José Alcino Bicalho, com a amizade que vem desde os tempos de Miradouro, e a autora, Rosana Areal de Carvalho, pelo lançamento do livro "O CÔNSUL DO REI", com certeza mais uma joia da literatura muriaeense.

    ResponderExcluir

Comente este post!