sábado, 29 de abril de 2017

MAIS CENAS DA FESTA EM BELISARIO

Mais gente chegando na terrinha, mais Família Costa vindo de BH. A pergunta é sempre a mesma. Como está a estrada? Péssima, sempre é a resposta.
Choveu muitos nessas últimas 48 horas, e uma chuva constante e fina. Isso acaba com uma estrada de terra.
Vovós Marcelo Rogério e Neide Costa.
Família do Sr. João Rocha/Ercília.
Visitantes da região.

Divino presente.
A turma de Laranjal alugou  aqui, na casa de Garrincha, na Praça.
Tá aí a camisa da turma.
Com insistência eu aceito até picanha.
Mateus também.
E gente vai chegando.
Bruninha Rocha com o namorado. Turma de Miradouro.
Essa turma evita bebidas alcoólicas.
Divino novamente.
Lembra que falei de uma novidade no GAB?
Pronto! Uma exposição de pinturas de Mirtes, filha de João e Ercília Rocha. A artista é de BH.
Vá vendo Beli nas telas. Mirtes é filha daqui.
Cachoeira do Nahor.
Vista da Serra do Brigadeiro. Aqui é uma técnica chamada  foto manipulada. A pintura  é feita a partir de uma foto.
Você conhece aquele cara sentado debaixo da árvore?
Belisário antigo.
Mais uma cena de Beli, também foto do blog.
Outra foto manipulada. A Rainha da Cavalgada, Paloma.
Renan entrando na área.
Duas pick ups lotadas de gente nas carrocerias, chegando pela  estrada  de Rosário da Limeira.
Parte dessa turma está vindo de J Fora. A VAN que os trazia de Rosário desistiu da estrada e eles pegaram carona no meio do caminho. Muita aventura para chegar aqui.
Olha essa aí, Dineia Paradela! Eles trabalham na Caixa Econômica em JF, onde minha prima é gerente. Ela havia me avisado da vinda deles. Cristina tem relação com Itamuri/Beli.
E caravanas vão chegando.
Um turma alugou essa loja de Calaisinho.
São de Vieiras.

O local da festa não está legal. A chuva trouxe lama, um dos motivos de se ter cogitado o cancelamento da festa. Um deles.


Não deixe de adquirir essa lembrança. Túlio Amaral está vendendo.
Quem pensa que a possibilidade levantada de cancelamento foi um ato impensado por parte da Comissão Organizadora, se engana. Não registrei por estar na direção, mas caindo a noite Marli me pediu que fosse até o sítio de seu pai, Sr. Roldão, para pegar um pessoal que estava vindo a pé, já que carros e o ônibus estavam agarrados no barro. Muita gente andando no barro.
Esse carro é a Banda Sintaliga. Havia um temor de que o carro não conseguisse chegar aqui, o que seria drástico. O trator o rebocou lá atrás e ela vai novamente agarrar na próxima subida. Uma moto me avisou que ela parou à frente. Prometi que daria socorro na volta, já que carro tem tração e ando com cordas.
Logo à frente vário carros agarrados e também o ônibus, pela segunda vez. O trator rebocava e na frente voltavam a agarrar. Tava feia a coisa.
Mas aos poucos foram desgarrando, inclusive o caminhão com equipamentos da festa. Tudo isso foi motivo de temor,  mais cedo. Aos trancos e barrancos chegaram.
Demos duas viagens rebocando gente, dando preferência a mulheres com crianças e bolsa. Não foi fácil a chegada em Belisário, em ambas as estradas.
Mas vamos voltar à parte boa. Galera de Santa Margarida, S. João do Manhuaçu e S. Domingos.
Tem gente até do Rio de Janeiro e Ubá.
Pratas da casa: Bel e sua turma.
Daqui a pouco vamos ver a festa de abertura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente este post!