sexta-feira, 21 de abril de 2017

A VISTA QUE A FAMÍLIA TEM

Quando entro numa casa logo me aproximo da janela. Quero ver onde estou, onde o sol nasce, onde se põe, quem são os vizinhos, o que tem de feio e o que tem de bonito lá fora. Como se chama esse desvio? Se não existe classificação  no CID-Código Internacional de Doenças, vou chamar de "FIG-Fobia à Indefinição Geográfica".
Semana passada fui na casa de Miltinho e Cleia. Olha a vista que a família tem! Para o lado da Serra, seguindo o Rio Fumaça.
A Matriz e os fundos de minha casa, naquele pasto. Lá crio o meu gado. Tem gente que pensa que é propriedade de Wolninho.
Virando para o lado da fazenda da família Toko.
Voltando a lente para o lado do Serrote.
A casa fica nessa rua, que passa ao lado do Antônio Moreira.
Fechando com a vista da Matriz.
Essas, Cleia me mandou pelo zap.
Entendeu porque o rio se chama Fumaça? As duas ela tirou ao amanhecer.
Tem um ponto em que se avista Beli, na entrada, que dizem ser a melhor vista daqui. Vou lá logo logo.

Um comentário:

  1. Lindas fotos, dá vontade de voltar para Beli...

    ResponderExcluir

Comente este post!