domingo, 12 de março de 2017

PROTEÇÃO AMBIENTAL: A GENTE PRECISA ESTAR SEMPRE VOLTANDO NESSE TEMA

E aqui é um ótimo local pra se falar nisso. Sítio Paraíso, de Faustino/Lourdinha
Mas não será para um concurso de beleza. Essas são as cozinheiras. 
Já que estamos na cozinha da roça, vamos dar um passeio por ela.
E ver o cardápio do dia.
A goiaba é fabricação própria. Essa família aqui, quando dormindo, sonha que está batendo pasto, pra descansar.
Agora vamos começar a entrar no tema. A ambientalista Marina Silva, que não fez plástica e pintou o cabelo. Não é a Marina Silva ambientalista que você está pensando. Ela é professora e natural de Divinópolis.
O primeiro é o Professor Alessandro Freitas, de Rosário da Limeira, depois o jovem Arne, da Suécia e na ponta da mesa a simpática Ariele, também de Rosário da Limeira.
Eles são da OSCIP IRACAMBI, cuja sede fica aqui na zona rural, atuando na área de educação ambiental, com abrangência internacional. Eles tem esse sítio como uma área de pesquisa e desenvolvimento de projetos de proteção/recuperação de nascentes, manejo, plantio eficaz...
E nada melhor do que uma família guerreira como essa pra receber essa orientação.
Mesmo cansada Lourdinha faz questão de me acompanhar até a horta, de onde recebo semanalmente uma bacia de verduras para o nosso consumo, por apenas dez reais., 

E se a horta flor florida, melhor ainda.
Tudo absolutamente natural.
Isso não é um coqueiro, mas um quiabeiro.
Essa é uma das orientações que estão recebendo: plantando a árvore certa para dar uma proteção no plantio, dispensando-se gasto com sombrite. 
Aquela árvore deve ser remanejada. Suga muita água do solo e assim não faz bem o papel de proteção.
Uma outra já está crescendo, para substituí-la.
Nada é jogado fora. Vai voltar para os canteiros, na forma de adubo.
Proteção com ramos para segurar a umidade no canteiro. Também bananeiras cortadas são descascadas e colocadas para essa função.
Dê uma olhada na sua Bíblia em Gênesis 35 :25 quando os irmão de José decidiram não matá-lo mas vendê-lo para uma caravana que vinha de Gileade  "... e seus camelos traziam especiarias e bálsamo e mirra, e iam levá-los ao Egito". Aí está o bálsamo. Foi famoso o bálsamo de Gileade, que servia para curas diversas e mesmo para embalsamar corpos. 
O Ministério da Saúde não adverte, mas muitos remédios são fabricados a partir de plantas que você pode ter em sua casa. Os laboratórios pedem para  que isso não seja divulgado. 
Caio batalhador.
De volta pra casa, enfrentando o trânsito pesado.
Até breve! Seja feliz na cidade, se isso for possível.

2 comentários:

  1. É meu amigo Cleber, eu acho ótimo você postar essas reportagens com tanta coisa boa que acontece em nossa região, trazendo tanta qualidade de vida, o problema é que você provoca em nós os pior sentimento que é a inveja de não poder estar aí.

    ResponderExcluir
  2. Que delícia de matéria, fiquei com água na boca, não poderia passar a receita do cardápio?

    ResponderExcluir

Comente este post!