sexta-feira, 17 de março de 2017

O ANIVERSÁRIO DA EE CEL. FRANCISCO GOMES CAMPOS

Com Mirian, Regina, Vôlney e Madalena, descemos a Serra de Belisário. Já deveríamos ter postado a matéria ontem, mas tive problemas técnicos.
O nosso destino era Itamuri. Uma foto com D. Nair, que tem muita influência nesse também distrito de Muriaé.
Eu já havia falado que nessa quinta a Escola Estadual Coronel Francisco Gomes Campos estaria completando 107 anos e que nós assumimos, com a Direção, que traríamos parte de sua família aqui. Pois cá estamos.
Alguns já haviam chegado, com Tio Mário, um dos filhos do Coronel. Ao seu lado uma de suas netas, Laura, do primeiro casamento. Tio Mário é filho de segundo.
Um café preparado pela Escola nos esperava.
E que café.
Além da neta, a outra filha, Elzira e sua filha Maria Célia.
O neto Marquinhos Braga e Sônia.
Ex professora da Escola, com sua família.
Familiares de alunos.
Vamos subir para a quadra de esportes. Veja os trabalhos dos alunos.
Uma poesia em homenagem à Escola. Clique na foto para ver se dá pra ler.
E aí estão os familiares do Coronel. Na esquerda três de seus filhos. Elzira, Tininho e Mário. As outras que seguem são familiares de alunos. Atrás tem netos e bisnetos.
A Vice-Diretora Magali faz a abertura do evento.
Vamos vendo essa moçada bonita de Itamuri.
De pé, para o cântico do Hino Nacional.
Composta a Mesa. Os 3 filhos, a neta presente mais velha e a bisneta também. 
A representante das professores e dos alunos, além da bela bisneta Mirian. Sabrina é ex-aluna e agora professora.
Apresentação de tarefas de uma gincana. Cada turma deve trazer um representante da família dos estudantes.
E depois deveriam trazer ex funcionários ou ex-professores. Uma ex-diretora e uma ex-servidora.
A neta Maria Célia foi aluna da Escola há exatamente 50 anos.
Sua irmã Letícia foi professora aqui.
Bonito o testemunho dessa ex-funcionária. Depois de 20 anos, Iza voltou a estudar, fez o EJA - Educação de Jovens e Adultos, depois Auxiliar de Enfermagem e hoje trabalha no Posto de Saúde local. Essa tem garra.
Outra ex-professora.
Ex- servidoras.
Outra tarefa: poemas sobre o Coronel Chico Gomes. Muito legal! Pedimos à Professora Ana para mandar uma cópia de cada, para a família e Museu de Belisário.
Estão aí os filhos e uma neta, na outra ponta.
Outra tarefa. uma maquete do prédio da Escola.
A partir de informações de um capítulo do livro que D. Nina Campos vai publicar, e de relatos ouvidos de pessoas e familiares que conviveram com o Coronel Francisco Gomes Campos, apresentamos um pouco de sua história. Vamos dar mais uma resumida no que lá apresentamos:
O Coronel  nasceu em Itamuri, casou-se 2 vezes. Ao todo foram 17 filhos.
Em Itamuri morou em na Fazenda da Floresta e depois em Muriaé. 
Nas décadas de 30 e 40 e teve grande influência toda a região, como empresário produtor de café, comerciante e político, recebendo esse título que lhe foi dado pelo governo, por ter se sobressaído nas áreas onde atuou, e pela sua honradez.
Ele usou a sua força política para tornar Belisário um distrito, desmembrando-o de Limeira. Por essa e muitas outras ações, deu nome à Praça da Matriz de Belisário e à Escola Estadual de Itamuri e rua em Muriaé.
Todos os depoimentos por mim lidos e ouvidos dão conta de que Chico Gomes, além de desenvolvimentista, foi um homem culto, amante das artes e de alma sensível. Da neta Nilza (BH), tenho gravado um vídeo, onde ela narra, com ternura, o avô carinhoso contador de estórias, que ela nunca soube se era de sua própria criação. 
Muito à frente de seu tempo, em sua fazenda tinha um projetor de filmes, num cômodo já chamado de cinema, segundo a neta Regina. Era um frequentador do cinema em Muriaé.
De sua caderneta de anotações, do ano de 1948, cedida para o Museu de Belisário pela neta Nilza, podemos notar ter sido ele um homem muito religioso, sempre citando ter ido à missa, participação na comunhão, confissão, novenas, doações para leilões...
Gostava de escreve coisas como que cifradas em charadas como: “A mulher do padre tinha as pernas compridas. 2 e 2” Gostava de citar muitos provérbios: “Somos alguma coisa, quando soubermos que nada somos”. “É preciso pensar em SER e não em PARECER”.
Algumas anotações são mineiramente fechadas. “Dr. Francisco Rogério esteve aqui para tratarmos de negócio que só nós é que sabemos”.
Em 3 de julho foi a Belisário com a Banda de Música do Laviola, na festa do padroeiro. Era um homem festeiro.
Veja que nota triste, em 8 de abril: “Ontem fui ao Belisário. Voltei hoje. Ninguém não estava com saudade de mim. Não me procuraram e por isso até fiquei doente”. Ele poderia estar emocionalmente abalado já que na véspera ele registra que, em Belisário recebeu a visita de Sebastião e Argemiro, Antônio Dias e Nenen. Tomou remédio e sarou.
Em 26 de outubro renunciou ao cargo de vereador. Não registra o motivo. Certamente que pela idade, de 79 anos, naquela época considerada uma idade avançada.

No fechamento da caderneta, em dezembro de 1948, ele registra: “Acabou o ano de 1948, e começou o de 49. Que Deus nos proteja e continue dando saúde e felicidade a todos nós. Graças a Deus dou por tudo quanto aconteceu no ano que acabou ontem”. Mal sabia ele que viria a falecer no final desse ano de 1949. 
Mirian também trouxe uma palavra de agradecimento em nome da família, por essa oportunidade dada pela Escola.
Uma Escola dinâmica.
Participante da Mesa, o aluno Pablo criador do Brasão da E E Cel. Francisco Gomes Campos, explica o simbolismo de cada parte do seu trabalho.
Outra tarefa, agora no pátio. Cada turma com um  representante de cada lado. De um lado uma garrafa pet vazia.
Do outro cheia, com líquido colorido. 
Em revezamento entre alunos, cada sala deve encher um copinho tipo de café e encher a garrafa do outro lado. Isso correndo.
Sem tremer...
Resultado final. Venceu o amarelo.

E aniversário tem bolo.
Momento solene de descerramento de placa. A Vice-Diretora e os 3 filhos do Coronel.

Lembra que fui ontem em Miraí. Pois aí está: fui buscar lá essa placa. 
Professoras registrando tudo.
Tio Tininho quer registrar. Filho é filho.
Agora vamos para o almoço
Depois eu mostro mais.

4 comentários:

  1. Que emoção e alegria ver essa homenagem ao meu bisavô, estou em Brasília essa semana e como gostaria de estar aí. Parabéns a direção da escola e toda a comunidade de Itamuri. Valeu Cleber mais uma vez pela sua disposição nos trazendo grandes momentos de alegria.

    ResponderExcluir
  2. Dia especial junto à comunidade escolar da E E. Cel. Francisco Gomes Campos ( saudoso avô materno) comemorando seus brilhantes 107 anos na formação de jovens . Faço parte dessa história! Maravilha reencontrar parentes, colegas e ex-alunos que se tornaram amigos eternos. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Agradeço a toda a familia pela presença e foi para mim uma grande satisfação esta conversando com alguns membros da familia espero que essa data possa esta se repedindo por muitos anos eu david em nome de todos os alunos agradeço a disponibilidade da familia para estar vindo a bossa escola para receber as homenagens ao Coronel francisco Gomes Campos.
    o meu muito obrigado!!!!

    ResponderExcluir
  4. Aparecida Antonieto Rodrigues18 de março de 2017 01:54

    Sua bisneta de Francisco Gomes Campos. Filha de Laura, neta mais velha. Que esteve presente na homenagem.Agradecemos o convite pra o evento. Obg.

    ResponderExcluir

Comente este post!