terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

VAMU VORTÁ

Passado o niver de Léo, é hora de voltar pra casa.
A gente comete um erro ao  passar a confiar mais na tecnologia do que na própria concentração. Estou careca de saber sair da marginal Tietê pela Dutra e logo pegar a Fernão Dias, e sair dela no Sul de Minas. Mas deixei por conta do GPS, colocando Pouso Alegre. Mirian deu uma bobeira e nele ficou mesmo Muriaé. Quando percebi vi que poderia ser complicado fazer o retorno e decidi mudar o caminho. Deixei para pegar a Dutra lá em Taubaté. Mas vou deixá-la um pouco depois de Aparecida do Norte.
Não se faz mais romeiros como antigamente. O sistema de bondinhos aéreos tem uma extensão aproximada de 1.170m e atravessa a Dutra, com acesso ao Mirante do Morro do Cruzeiro.
Silvan Alves fez, recentemente, uma viagem e  uma matéria nele.
Daqui a pouco a gente vai atravessar a Serra da Mantiqueira, naquela região.
Vamos entrar em Cachoeira Paulista.
Passamos dentro da cidade.
Essa cidade é histórica. Em 1932, durante a Revolução Constitucionalista, o município transformou-se em uma praça de guerra, tornando-se o quartel general do Movimento. 
O rio Paraíba do Sul está bem cheio. Graças a Deus.
Ir de SP a Minas sem emoção não tem graça, né Gilmar Assafrão? Olha a buracada na pista! 
Até galhos caídos.
Coisa linda
Mas a estrada melhora na frente. Se eu quisesse teria ido mais à frente, na Dutra, e entrado em Cruzeiro, pra pegar a BR. Esse era o meu caminho quando engenheiro da RFFSA, em Juiz de Fora, vindo para as cidades do Vale do Paraíba. Passei por aqui pra matar saudades.
Mais serra...
Uma parada nesse mirante, para uma foto do Vale.
E entramos em Minas. Passa Quatro está logo à frente.
Pra direita Itamonte. Vamos pra esquerda, sentido São Lourenço.
Essa Cachaça Paraíso tem muitas lojas na região. É bem interessante lá dentro, mas tenho uma parada à frente e quereremos chegar em Beli antes das oito da noite.
Não passa em São Lourenço. Já estamos em Caxambu, naquele trevo que passo sempre, quando venho pela Fernão Dias. Daqui pra frente é o caminho costumeiro.
Mas temos amigos importantes pra receber nessa semana. Esse também foi um dos motivos para insistirmos em vir pelo Sul de Minas. Vamos entrar em Cruzília.
Já postamos essa revenda de queijos várias vezes.
Temos bons queijos aqui em Beli, mas Cruzília tem fama de produzir os melhores queijos do Brasil. São queijos especiais.
Cervejas artesanais, concorrentes da BEERLISARIO.
Artesanato mineiro.
O obstinado proprietário partiu do nada e se projetou nacionalmente. Ganhou muitos prêmios.
Mudando de assunto. Já estamos passando por Juiz de Fora.  Muito legal isso:
Juiz de Fora é uma das cidades onde o transporte coletivo urbano mais investe na acessibilidade, para melhorar a vida dos portadores de deficiência. Visando a inclusão social das pessoas com necessidades especiais, a Astransp garante transporte individual gratuito para este público com o sistema porta a porta, o Apoio. Além deste diferencial, a frota de ônibus adaptados é nova e em permanente expansão.
Os investimentos em recursos de segurança, câmeras e outras tecnologias, garantem à cidade um dos sistemas mais humanizados e modernos do país. O cuidado com o sistema começa no conforto da loja da Astransp e se estende a cada ônibus e abrigo.
O Sistema Apoio foi criado em 1996 para realizar o transporte porta a porta e é inteiramente financiada pela Astransp, através de iniciativa de contrapartida que não é contabilizada na planilha tarifária. 
http://www.astransp.com.br/conteudos.aspx?categoria=Acessibilidade
O belisariense de nascimento, Héber de Souza Lima e o belisariense por afinidade, Carlos Alberto Sigiliano, têm muito a ver com isso. Ambos são engenheiros e foram diretores da Secretaria de Transportes de JF. O primeiro é primo e o segundo cunhado. São especialistas em transporte público.
Olha a chuva que vem lá.!
Pegou a gente antes de chegar em Bicas.
Você morre de pena desses frangos transportados desse forma, não é? Denuncia no Face e depois vai no mercado e compra o bichinho, já limpo e congelado. Você é cúmplice.
Já chegando em Muriaé, Mirian pegou isso.
Já estamos deixando a BR 116, em Itamuri.
Belisário a vista!
Quinta os amigos chegam. Vamos preparar para esperá-los.

Um comentário:

  1. Depois de rever Leo 1, Leo 2, ETC. , muito alegre e gostoso, estivemos viajando, errando caminho,
    comendo queijos, admirando flores e vales, e... avistando Beli! Lindo como nunca!
    E a casa parece um palácio ! E nós aqui no Rio aproveitando um pouco de cada episódio. Só não conseguimos abaixar o mercúrio dos termômetros... no mais , tudo bem.

    ResponderExcluir

Comente este post!