sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

REVOLTANTE



No último domingo (19), Frei Gilberto Teixeira, Administrador Paroquial da Paróquia de Santo Antônio, em Belisário, distrito de Muriaé, sofreu ameaça de morte, com o autor lhe exibindo um revólver. O Frei foi abordado quando encerrada a missa de domingo com a comunidade e entrou, sozinho, na casa paroquial. O criminoso fez questão de lhe informar que o acompanha em todos os seus atos e movimentos, nos últimos tempos e obrigou que se calasse em todos os pronunciamentos sobre os direitos dos seus paroquianos, para não ser morto. E que este seria o último aviso. 
Frei Gilberto, em sua função missionária, vem prestando assistência e apoio aos pequenos agricultores da comunidade, na luta contra a espoliação de suas terras e a degradação das áreas de lavouras familiares. Em nosso País, como temos assistido com muita dor, os ditos “grandes empreendimentos” não suportam argumentação que contrarie seus planos, sabedores de que sempre sairão vitoriosos. Pelo que, ignoram qualquer bem-estar ou direito dos fracos. Se entender necessário, desprezam até mesmo a vida humana dos contraditores. Irmã Dorothy é uma das nossas mais recentes e dolorosas memórias… 
“Diante deste monstruoso atentado, a Diocese de Leopoldina não pode nem vai se calar, enquanto a questão for a segurança, o direito e o bem-estar de nosso Clero e das nossas comunidades. Frei Gilberto fazia o que toda a nossa Diocese faz e fará sempre. Temos compromisso com o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, na sua milenar opção pelos mais sem-voz e sem-vez e, nestes últimos tempos, acompanhando o Santo Padre, o Papa Francisco, no “Cuidado com a Casa Comum”, na recomendável leitura de sua Carta “Laudato Si”. 
A vida de nosso povo e o meio-ambiente saudável não são questão secundária para a nossa Igreja. “Que todos tenham vida e a tenham em abundância” – como o Senhor Jesus proclamou. 
Tornamos público que todas as medidas necessárias à segurança pessoal de Frei Gilberto estão sendo tomadas e que as autoridades foram devidamente acionadas para que se investigue e que o autor, e o mandante se for o caso, sejam criminalmente responsabilizados. 
Assim, esperamos que o mandante retire suas sentenças e que as autoridades constituídas venham em socorro imediato daquelas comunidades, para que se assegurem os sagrados direitos às suas pequenas propriedades, à proteção aos saudáveis e ricos mananciais de água potável de extraordinária qualidade que ali nascem. E, por fim, que os serviços de evangelização e expressões religiosas não venham jamais ser amordaçados. E que nunca o valor econômico-financeiro se sobreponha ao sagrado valor da vida humana! - Diocese de Leopoldina


O assunto vem revoltando a nossa comunidade já há vários dias. Não nos pronunciamos por ter sido combinado aqui, que todos aguardassem um encaminhamento do problema. Com a manifestação da Diocese o assunto se tornou público.
Quando o nome de Frei Gilberto foi confirmado e somente para pastorear a Paróquia de Santo Antônio, e não mais acumulando com Rosário da Limeira, a comemoração foi geral.


No seu aniversário uma festa surpresa.
A sua participação na defesa da natureza é marcante.

O momento é de certeza de que nada acontecerá ao Frei, afinal: 

"Quão formosos são, sobre os montes, os pés do que anuncia as boas novas, que faz ouvir a paz, do que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, do que diz a Sião: O teu Deus reina! (Isaias 52: 7)

Dado a delicadeza do assunto, nenhum comentário anônimo será aceito nessa matéria.

Um comentário:

  1. Esta ameaça à vida do Frei Gilberto é mais grave ainda que o desejo de instalar atividades mineradoras nas áreas de amortecimento do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro.

    ResponderExcluir

Comente este post!