terça-feira, 29 de novembro de 2016

A GENTE DESCE PARA UM MOTIVO MAS OUTROS APARECEM

Segunda, por volta de 9 horas, pegamos esse cenário na Serra de Belisário. Mas tem aquele velho ditado: serração baixa é sol que racha. E a gente iria encarar isso em Muriaé.
Cruzamos com esse carro. Opa! Virar e correr atrás.
Não pelo carro, mas pelos ocupantes. Já há muito queria ver os amigos Edson Cury e Áurea. Primeiramente para cumprimentá-lo pela eleição de Zé Maria como prefeito de Rosário da Limeira. Edson teve absoluta participação nisso, pelo belo trabalho que fez e que faz em toda a região.
Mas queríamos falar também sobre capacitação. Apesar das dificuldades pelas quais os órgãos públicos vêm passando, procuramos saber  os cursos que a EMATER pode fornecer pra Beli, no próximo ano. A conversa rendeu e ficamos de nos encontrar os três. 
Depois de tudo resolvido em Muriaé, uma passada pela FUNDARTE, para atualizarmos conversas com a amiga Gilga, atual diretora do órgão.
É claro que essa conversa aconteceu também com Flávia, a nova diretora geral que assumirá em janeiro. Tratamos dos nossos projetos para o GAB em 2017. Não tirei foto com ela.
Continuamos na expectativa de boas programações com a FUNDARTE na administração Grego.
Vamos ver mais gente importante. Mostrei aqui em mais de uma matéria o Professor Hermínio, Gestor da Casa de Saúde. Ele esteve no OKTOBEERLISARIOFEST e tem um canal que pode ajudar muito Belisário. Estamos esperando a sua vinda aqui logo, logo.

Bidico prometeu que viria no festival de cerveja e não apareceu.

De contato em contato, a gente vai conseguindo alguma coisa para o nosso Belisário. Deixa virar o ano pra gente ver tudo isso. 

Vamos voltar pro alto de serra. O calor tá pegando por aqui

2 comentários:

  1. É, Cléber,
    Enquanto você vai procurando fazer bons contatos em Muriaé para administrar bem o GAB, de que é Presidente em favor do povo do distrito de Belisário, eu aqui no Rio acompanho as notícias dos sinistros: o da Chapecoense e o da discussão e votação na Câmara Federal durante a noite passada. Sobre o primeiro, o mundo inteiro está consternado e se perguntando... por quê?
    Sobre o segundo, as perguntas são várias: a primeira, por quê elegemos representantes de "hábitos noturnos"? Eu, aposentada, pude seguir em vigília pela noite à fora. Mas, para quê?
    Para ver configurados institutos de preservação dos "sagrados direitos" , a começar pelo direito ao enriquecimento ilícito e prerrogativas de quem a sociedade elegeu para servir ao país. Problema que nem o MPF (Ministério Público Federal) consegue resolver e, nesta tarde, em Curitiba, já até dava sinais de desânimo, num comunicado da Lava Jato à Imprensa. Mas, acredito e acho que todo o povo também, que mesmo que caiam de "podre" TODOS OS PODERES do Governo brasileiro, a Operação Lava Jato sobreviverá, porque numa Democracia o Poder emana do Povo e ninguém abrirá mão disso.

    ResponderExcluir
  2. Dona Nina não está sozinha em seu desalento. Não conheço provérbio mais antigo, mais surrado e mais verdadeiro do que esse: "cada povo tem o governo que merece". Assistimos ontem, em Brasília, mais uma grande demonstração de insensatez, ou melhor, de estupidez mesmo. Enquanto os parlamentares aprovam leis que lhes garantem o "enriquecimento ilícito", o povo protestava, com violência e vandalismo, contra a PEC da contenção de gastos públicos. Mesmo sabendo que o país está falido, não querem perder os privilégios do desfrute sem labor. A "leitura" me parece clara: desde que minha parte esteja garantida, podem roubar à vontade. Para mim, enriquecimento ilícito é apenas um eufemismo para ROUBO. Com relação à Lava-Jato, sou bem mais pessimista do que a Dona Nina. Não creio ela vá muito além do que já foi.

    ResponderExcluir

Comente este post!