sexta-feira, 7 de outubro de 2016

FECHANDO A SEMANA COM CAMINHADA

Pegamos o carro e tomamos o rumo de Itamuri.
Uma paradinha para uma foto de Beli.
Mas, vamos deixar a estrada e entrar aqui.
Vamos na Comunidade Fazenda Veiga. Tem algum tempo que a gente não vem cá, lugar bom de caminhar.
É outro o  visual, depois das chuvas.
Um gavião tá de olho em algum ninho. Uns pássaros estão reagindo, tentando proteger os filhotes.
Enquanto estivemos por aqui ele não teve sucesso.
Mais um projeto minha casa minha vida. Ninho de guacho e outros de joão-de-barro. Como se vê, o sol está rachando hoje, depois de vários dias sem aparecer. Nem fez falta.
Parece uma escola de educação infantil no pátio do recreio.
É disso que o povo gosta!
Já há algum tempo eu mostrei essa caixa de marimbondo e falei que na zona rural as pessoas convivem bem com os animais. Ninguém queima isso, temendo picadas em crianças. As crianças aprendem a conviver com a natureza, inclusive com seus riscos.
Está muito forte a produção de bananas aqui nessa comunidade.
Que que é isso, minha gente? Um modelo personalizado de carro?
E é isso mesmo. O seu montador tem oficina em Serrania. O motorista Diney tem uma boa produção de peixes ornamentais. Já lhe mostro.

Estão aí os seus poços de produção. Diney é filho do falecido Luizinho Esteves.
Vamos em frente.É café e banana.
Mais figuras simpáticas. Batista, filho do João Moisés, e o pequeno  Arthur.
Sempre que o pai vai sair, o baixinho planta no choro. Aí tem de dar uma voltinha com ele primeiro.
Voltamos com ele para uma conversa.Luciana também nos recebe.
Ele passou a produzir bananas em média escala, junto com o café. No sábado desce para vender essa fruta na feira, outras que estejam sendo produzidas e taioba, que para a minha surpresa, é plantada junto com café e banana, aproveitando a sombra.
Essa obra tem toda a orientação do Dr. Edson Cury, da EMATER. É uma câmara fria para ajudar no amadurecimento da banana. Outra surpresa para mim, que sempre vi abafar a fruta para ela acelerar o amadurecimento.
Ele nos  explicou que a câmara deve funcionar perto dos 16 graus, e em seu interior ainda é injetado o gás etileno, que já se faz presente em toda a estrutura do fruto, desde a casca até seu interior, sendo responsável pela maturação das frutas. Dessa forma, é um processo natural.
Dr. Edson até viajou com ele para que conhecesse o processo. Está feliz com o empreendimento que está fazendo, podendo até receber bananas de outros produtores para a sua câmara, quando estiver pronta.
É muito legal ver uma família de empreendedores.Ítalo ajuda o pai na feira sábado pela manhã e presta um outro grande serviço para a família. Não perde nada do nosso blog EMBELISARIO e informa tudo à família.
Agora Ítalo será o nosso correspondente na Comunidade Veiga.
Batista  tem visão. Aqui será uma dispensa e seu escritório, com internet.
Vamos em frente.
 Olha que cara de roça! 
Quem é aquele que vem lá longe
Opa! Sr. Antônio Coelho. Os filhos Antônio e Rosany vão vê-lo lá de São Paulo.
Esse deve ser desse tipo "caminhante sem destino". Nunca o vi por aqui.
Você já ouviu falar daquela curva onde Judas perdeu suas botas? Deve ser aqui.

Já de volta, demos uma parada na casa de Silvério. Chamou-nos a atenção a a limpeza do quintal.
A esposa é Vanda Calais, irmã de Lurdinha e Zé Calais. A mandioca frita estava irresistível.  Eu não gosto de pegar, mas se houver muita insistência...
Olha que show essa parede !
Mírian sempre gosta de uma foto na janela.
Encaramos uma subida super ingrime. Mírian nem veio. O coração veio na boca. Lá em cima esse terreirão de café.
Água de mina, vindo lá do alto.
Coisas da roça.
Já estamos novamente na pista, depois de alguns pedaços de mandioca frita. Agora a sobremesa. Uma beleza esse pé de pitanga.
Não gosto dessa fruta por ser ácida. Essa não é.
Pensava em pedir almoço aqui na casa do amigo Tião Arnaldo. Acho que ele adivinhou e tratou de sair de casa, com a patroa. Vai ficar me devendo essa
As pessoas perguntam como posso comer tanto e nunca engordar, mantendo esse corpo tanquinho. Isso é fruto de muito trabalho duro e exercícios. Tá aí. parecendo de fato, uma Brastemp industrial de 15 kg.
Mais minha casa minha vida.
Esse é um javaporco. Cruzamento de javali com porco. Tá fuçando para pegar a raiz da mandioca.
Já lembrei que faltou manga em 2016 e deve sobrar em 2017. Vai vendo ai !
O bus deixa Vanessa na porta de casa. 
Ela gosta de morar na zona rural. O burburinho da vida urbana não lha faz falta. É feliz aqui.
Outra foto, agora na volta.
Já dentro do distrito, vejo o Professor Perna, de São Domingos, outra comunidade de Belisário. Ele é o Juiz de Paz do distrito de Belisário.
Esse pessoal veio pegar a encomenda no Atelier do Moreira.  Já mostrei as coisas chiques e baratas que eles fabricam aqui.
Bentinho é patrimônio nosso. Sou fã dele.
Outro patrimônio de Belisário.
O Sr. Antônio Elias tem 104 anos. Além da  diária pinga com jurubeba, faz seus exercícios.
Mas, para isso ele contratou esses 4 personal trainers.
E um monitor de movimentos.

Tudo isso é Belisário!!!!!

4 comentários:

  1. Não há lugar melhor. Esta matéria, Cléber, e as outras que você tão bem faz de Belisário dão muita saudade a quem precisa ficar fora.

    ResponderExcluir
  2. Que linda matéria Cléber.Parabéns e obrigado por mostrar-nos tanta beleza. Sônia. Muriae

    ResponderExcluir
  3. Essa matéria foi tão espetacular que compensou o loooooongo tempo de 2 dias que ficamos sem notícias de EMBELISARIO. Tudo merece destaque mas vou citar apenas alguns. O lindo cenário rural, agora "aliviado" pelas chuvas recentes. Pessoas trabalhando felizes em seus empreendimentos. Casas bonitas e seguras, confirmando a dignidade de quem trabalha. Destaque também para o "modelo exclusivo" do Diney e o troféu DESTAQUE CAMPEÃO vai para essa criaturinha linda e bem humorada que é o pequeno Arthur. A vontade que a gente tem é de abraçá-lo com muita força.

    ResponderExcluir
  4. E por falar em Luizinho Estêvão.
    Esse foi também personalidade de destaque em nossa região. Tenho uma coleção de frases famosas de filósofos, políticos e sábios de todos os tempos. Nessa coleção existem citações de Confúcio, Sócrates, Júlio César, Freud, Hitler, Coco Channel, John Kennedy, Luizinho Estêvão e tantos outros. Certa vez ele foi criticado por vender seus produtos a baixo preço na feira em Muriaé. A resposta dele foi antológica: - "É melhor a gente TER e vender barato do que NÃO TER e comprar barato."

    ResponderExcluir

Comente este post!