quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O QUE VOCÊ SABE SOBRE MARIA ANTONIETA?

Na matéria anterior, sobre o projeto Oficina da Beleza, do Hospital do Câncer, da Fundação Cristiano Varella, falamos que a gente tende a valorizar coisas boas que acontecem ao longe e minimizar aquelas que acontecem perto. Sempre posto visita a museus, casa de cultura, exposições..., quando passando por SP, BH e SSA (Salvador).

Pois. ontem. fui visitar a exposição de esculturas Maria Antonieta-A Última Rainha, montada na sede da FUNDARTE-MuriaéDescobri que sabia praticamente nada sobre essa polêmica mulher. Agora sei alguma coisa. Uma visita cultural abre a cabeça da gente.

Se você tiver dificuldade de ler, ela foi uma das principais personagens do século XVIII. “Maria Antonieta era uma mulher que só queria ser comum e aceita. Mas, por seu estilo extravagante, tornou-se, além de rainha da França, a rainha da moda, e virou bode expiatório e mártir do maior evento histórico do século XVlll, a Revolução Francesa.”
Sobre o artista:
Um pouquinho sobre ela.

E vamos à exposição. Muito interessante.

E abaixo a sua execução, tendo a cabeça cortada na guilhotina.

Do Wikipedia fiz o seguinte resumo:

Maria Antônia Josefa Joana de Habsburgo nasceu em Viena, em 1755, casou-se  aos quatorze anos com o então  delfim da França e depois Rei Luís, numa tentativa de estreitar os laços entre os dois inimigos históricos.
Detestada pela corte francesa, onde era chamada autre-chienne, que significa "outra cadela", Maria Antonieta também ganhou gradualmente a antipatia do povo, que a acusava de perdulária e promíscua e de influenciar o marido a favor dos interesses austríacos.
Luís XVI foi deposto e a monarquia abolida em 1792. A família real foi posteriormente presa na Torre do Templo e, nove meses depois Maria Antonieta foi julgada, condenada por traição, e guilhotinada em 1793.
Após sua morte, Maria Antonieta tornou-se parte da cultura popular e uma figura histórica importante. Alguns acadêmicos e estudiosos acreditam que ela tenha tido um comportamento frívolo e superficial. Outros historiadores alegam que ela foi retratada injustamente e que as opiniões a seu respeito deveriam ser mais simpáticas.
 Na primavera de 1775, uma grande crise econômica levou a França a graves distúrbios, com a eclosão de motins em todo o país, conhecidos como a "Guerra da Farinha". Foi nessa ocasião que se atribuiu falsamente a Maria Antonieta a frase: "Se o povo não tem pão, que coma brioche.
Em 1782, estourou o escândalo financeiro na corte aumentando a antipatia contra a rainha. Nessa época Maria Antonieta iniciou a construção de uma pequena vila de doze casas, pensando em buscar uma vida simples, inspirada no mito da Arcádia, o país  imaginário, criado e pelos poetas do Renascentismo e  Romantismo,  como Virgílio, onde reinava a felicidade , a simplicidade e a paz, num ambiente utópico onde homem e natureza viviam em comunhão. Mas o povo reagiu contra, entendendo essa não ser uma opção adequada para uma rainha.
Realmente, tudo dava errada para essa pobre coitada. Se gastasse muito ou se optasse por uma vida simples, de qualquer forma ela era reprovada.  

Parabéns à FUNDARTE por mais esse iniciativa.

Um comentário:

  1. Lindo trabalho de Arte e Cultura, do juizforano, Yure Mendes, tão bem apresentado ao público de Muriaé e região pela FUNDARTE. Apreciei muito, aqui no Rio, vendo-o no excelente blog do Dr. Cléber, o embelisariomg. Parabéns a todos os mencionados.

    ResponderExcluir

Comente este post!